A realidade e as palavras

"Quando te questionarem acerca dAquilo, nada deves negar ou afirmar, pois o que quer que seja negado ou afirmado não é verdadeiro. Como poderá alguém perceber o que Aquilo possa ser enquanto por si mesmo não tiver visto e compreendido? E que palavras poderão então emanar de uma região onde a carruagem da palavra não encontra uma trilha por onde seguir? Portanto, aos seus questionamentos oferece apenas o silêncio. Silêncio... e um dedo apontando o caminho." -Siddhartha Gautama, o Buda






sábado, 5 de maio de 2012

Inefável



Como poderão as palavras expressar ou transmitir um estado
que se torna presente quando todas as palavras
e todo o verbalizar se ausentaram?

Falar sobre Isto! Discorrer sobre Isto!
Sempre o mesmo dilema, a mesma frustração!
Sempre a sensação de que algo absolutamente essencial
foi deixado de fora!

 Falar e escrever!
Apenas para constatar que a verdade
Jamais se deixa capturar.

Tudo o que desta atividade pode resultar,
será sempre um pálido reflexo daquilo que lhe deu origem.

Compreender isto, aceitar isto!
Não significa limitação ou impotência.
 Significa a infinita independência!
 A infinita liberdade!

Sem comentários:

Enviar um comentário