A realidade e as palavras

"Quando te questionarem acerca dAquilo, nada deves negar ou afirmar, pois o que quer que seja negado ou afirmado não é verdadeiro. Como poderá alguém perceber o que Aquilo possa ser enquanto por si mesmo não tiver visto e compreendido? E que palavras poderão então emanar de uma região onde a carruagem da palavra não encontra uma trilha por onde seguir? Portanto, aos seus questionamentos oferece apenas o silêncio. Silêncio... e um dedo apontando o caminho." -Siddhartha Gautama, o Buda






quarta-feira, 28 de março de 2012

Impermanência


                                                                                   Sei que há pouco eu já era...

                                                               Era "Ser", eu existia!

                                                               No entanto não sentia

                                                               esta sensação que sinto.

                                                               É estranho!... sei que não posso ser

                                                               esta sensação que sinto!

                                                                E sinto não poder ser

                                                                mais do que esta sensação!!...
 

2 comentários:

  1. Quem escreve assim, poderá compreender porque escrevo assim: Um abraço!
    Hoje caiem-me as lágrimas,
    Não são de tristeza, nem de alegria.
    Não sei definir, nem quero fazê-lo.
    Não choro, só me caiem as lágrimas.
    E são tão cristalinas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado por partilhar aqui essa sensibilidade e lucidez Margarida! Abraço!

      Eliminar